Sábado, 14 de Outubro de 2006

O Cavaleiro de Méré

     
    • Gostaria de ter conhecimento da biografia do Cavaleiro de Méré.


      Nivel de escolaridade: Secundário
    Tema:
    Sub-tema:

     

      O Cavaleiro de Méré não foi propriamente um matemático, mas um militar com algumas pretensões literárias e também, pelo menos segundo ele próprio, com algumas capacidades matemáticas.

      Méré, segundo algumas enciclopédias francesas do séc. XVIII e XIX, chamar-se-ia George Brossin e, segundo outras fontes,mais recentes, Antoine Gombaud. Nasceu por volta de 1607 em Poitou, França. Entrou na ordem de Malta em 1620, e fez algumas campanhas em mar e em terra. Deixou as funções militares em 1645 para se fixar em Paris. Aí, passou a frequentar a sociedade funcionando como uma espécie de árbitro do bom gosto. Há quem afirme que ele era mesmo uma figura proeminente da corte do Rei Luís XIV, actuando como seu conselheiro. Confirmado está o facto de ser amigo de algumas personalidades da corte.

      Méré era um libertino e moralista, tendo publicado vários livros. Entre eles, "Maximes Sentences et Reflexions Morales", e "De l Esprit". Provavelmente também será o autor de "Discours sur les passions de l amour" (1652), obra atribuída durante muito tempo a Pascal.

      No fim da vida deixou a corte e regressou à sua terra natal. Morreu em 1685 no castelo de Baussay. Um seu contemporâneo, a propósito da sua morte, escreveu "era um homem muito espirituoso, que fez livros que não lhe faziam muita honra". Este julgamento é elucidativo da obra menor que produziu, o que pode ser confirmado pelo facto dos seus livros terem, imediatamente, caído no esquecimento.

      Méré publicou as "Lettres de Monsieur Le Chevalier de Méré", uma colecção de cartas a diversas personalidades. Entre elas está uma carta a Pascal (não datada). Nela pode ler-se:

      "Descobri coisas na matemática tão raras que maior parte dos eruditos da antiguidade nem nunca pensaram sobre elas e com as quais os melhores matemáticos da Europa ficaram surpreendidos. Vós escrevestes sobre as minhas invenções. assim como M. de Huygens, M. Fermat e outros."

      Com se vê por este excerto, Méré tinha orgulho nas suas capacidades matemáticas e exprimia-o com o certo pretenciosismo, característico de todos os seus escritos. No entanto, Pascal não tinha a mesma opinião, tendo referido numa carta a Fermat a sua impressão sobre as limitações matemáticas do Cavaleiro. Leibniz concordava com Pascal Embora o descreva como "um homem de mente penetrante, que foi tanto jogador como filósofo", com um "génio extraordinário para a matemática", estas afirmações parecem ter um fundo sarcástico uma vez que ele prossegue dizendo "quase que me desatei a rir com os ares que o Cavaleiro de Méré toma na sua carta a Pascal"

      Apesar de, para Pascal, Méré não revelar um espírito matemático, tinha razão quando afirmava "que muitos escreveram sobre as minhas invenções", embora o termo "invenção" seja demasiado forte, já que o que Méré coloca são dois problemas que levantaram a curiosidade de Pascal e que levaram a uma correspondência pessoal entre Pascal e Fermat, iniciada em 1654. Desta correspondência nasce a teoria das probabilidades.

      Não se sabe muito bem quando é que Méré terá colocado os problemas a Pascal, uma vez que as cartas entre Pascal e Fermat são as únicas fontes que se têm sobre os problemas e omitem essa informação. Pensa-se que Pascal deverá ter sido apresentado a Méré por um amigo comum, o Duque de Roannez, entre 1651 e 1654, época em que Pascal levava uma vida mais mundana. Estes problemas surgiram de discussões relativas à realização de jogos a dinheiro. O nosso Cavaleiro colocou a Pascal uma pergunta relativa à forma como se devia distribuir, pelos jogadores, o montante da aposta num jogo de dados que foi interrompido antes do final. Pode ver-se a discussão de um problema semelhante na página 165 das Normas para o Currículo e a Avaliação em Matemática Escolar, editadas pela APM e IIE em 1991.

      Para mais informação, pode consultar :

      A History of Mathematics de Carl Boyer e Uta Merzbach, editada pela Wiley em 1989;

      www.cc.gatech.edu/classes/cs6751_97_winter/Topics/stat-meas/probHist.html

      www.maths.tcd.ie/pub/HistMath/People/Pascal/RouseBall/RB_Pascal.html

      128.220.50.88/journals/perspectives_on_science/v006/6.1sylla.html.

    Alexandra Pinheiro, Fernando Nunes, Maria João Lagarto
publicado por Fernando Roriz às 18:25
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
31

.posts recentes

. Portugal É Pacífico

. Professor de Inglês Suspe...

. A Estrutura E8

. Ainda se fala sobre Maryl...

. Organização Escolar

. Organização Escolar

. Professor Tutor

. John Napier

. Candidatura ao Ensino Sup...

. Professores

.arquivos

. Maio 2007

. Março 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

.Temas

. animais(2)

. biodiversidade(1)

. biografias(5)

. Ciência(6)

. ciência e tecnologia(1)

. Ciência e Tecnologia(1)

. cinema(1)

. clima(1)

. desporto(2)

. diversos(1)

. economia(1)

. Educação(13)

. educação(2)

. ensino(4)

. futebol(7)

. impostos(1)

. Investigação(1)

. legislação(2)

. Matemática A 11(1)

. Matemática A11(34)

. matemática A11(1)

. Matemática B 12(1)

. Matemática B12(22)

. matrizes(8)

. mundo(3)

. Notas biográficas(21)

. Notas Biográficas(1)

. notas biográficas(1)

. poemas(1)

. Política(10)

. Saúde(1)

. sociedade(16)

. tecnologia(1)

. tecnologias(1)

. viagens(1)

. todas as tags

.links

.as minhas fotos

.subscrever feeds